Boletim ASBAI Edição Nº 60 | NO RADAR DA CIÊNCIA | Sintomas da Ômicron se diferem da fase inicial da pandemia

Boletim ASBAI Edição Nº 60 | NO RADAR DA CIÊNCIA | Sintomas da Ômicron se diferem da fase inicial da pandemia

Em 13/12/2021, foi confirmada a primeira morte, no Reino Unido, causada pela Covid-19 relacionada à nova cepa Ômicron, e que até então não havia feito vítimas fatais, desde o dia em que foi identificada, em 23/11/2021. Até o momento sabe-se que essa nova variante é, de fato, mais transmissível do que a cepa original, mas tem demonstrado evoluções leves, que podem estar relacionadas à eficácia, à efetividade das vacinas já aplicadas. Mas se mostra, nesse momento, a grande necessidade da dose de reforço, que pode aumentar os níveis de anticorpos neutralizantes em até 70%.

A variante Ômicron apresenta mais de 50 mutações em seu material genético, ou seja, é uma mutação de relevância clínica. No vídeo a seguir, a coordenadora do Departamento Científico de Imunização da ASBAI, Dra. Lorena de Castro Diniz, conta o que se sabe até o momento sobre a nova variante do coronavírus.