Boletim ASBAI Edição Nº 56 | NO RADAR DA CIÊNCIA | GINA 2021: Alteração no esquema tradicional dos steps de tratamento da asma em adolescentes e adultos

Boletim ASBAI Edição Nº 56 | NO RADAR DA CIÊNCIA | GINA 2021: Alteração no esquema tradicional dos steps de tratamento da asma em adolescentes e adultos

Por Gustavo Falbo Wandalsen*

 

A GINA (Global Initiative for Asthma) consiste no principal documento internacional de orientação sobre o manejo da asma em crianças e adultos no mundo. Anualmente, após revisão das evidências disponíveis e discussões internas, um grupo internacional de experts publica um documento extenso e atualizado, que aborda todos os principais aspectos da asma, como a definição e o diagnóstico da doença, as formas de avaliação do controle dos sintomas e dos riscos da doença, o manejo das exacerbações e o tratamento da asma em populações específicas, como as crianças pequenas.

O documento da GINA serve como guia para o tratamento da asma em todos os níveis de complexidade, da atenção primária ao tratamento especializado de casos graves e/ou de difícil controle. Ele também pode ser utilizado como fonte para as referências mais atuais e relevantes sobre inúmeros aspectos específicos da doença. Finalmente, por ser uma iniciativa com abrangência e reconhecimento global, a GINA facilita o diálogo entre a comunidade científica internacional envolvida na investigação da asma.

Destaques

Apesar de todos os pontos abordados pela GINA serem relevantes, o manejo farmacológico da asma é o ponto que costuma receber maior atenção entre os especialistas. As recomendações para os tratamentos preferenciais e alternativos, nos diferentes steps de gravidade da doença, servem como base para o tratamento da asma em muitos centros especializados e por milhares de médicos.

Nas últimas atualizações da GINA, diversos pontos relevantes foram incluídos, como a importância de fenotipagem dos pacientes e a inclusão dos medicamentos biológicos para os casos graves. Os riscos do uso abusivo dos agentes beta-2 agonistas (SABA) têm sido destacados, não sendo mais recomendado seu uso isolado.

A asma leve também recebeu muita atenção nos últimos anos, com o reconhecimento do risco de exacerbações graves e da necessidade de tratamento anti-inflamatório. Em 2021, a GINA alterou o esquema tradicional dos steps de tratamento da asma em adolescentes e adultos, dividindo as recomendações de acordo com o tratamento de resgate. No caminho preferencial, a combinação de corticosteroide inalado com formoterol para uso sintomático é recomendada nos steps 1 e 2, que foram agrupados. Nos steps seguintes, essa mesma combinação é recomendada como medicação para controle e resgate (terapia MART) com doses crescentes de corticosteroide inalado.

Por último, a GINA tem publicado recomendações sobre o tratamento da asma durante a pandemia da covid-19, destacando a importância da manutenção do tratamento de controle da asma, especificamente o corticosteroide inalado.

 

*Gustavo Falbo Wandalsen é membro do Departamento Científico de Asma da ASBAI