1. Tabela de Códigos TUSS/CBHPM

1. Tabela de Códigos TUSS/CBHPM

Pergunta: Quais os códigos de procedimentos da alergologia presentes na CBHPM?

Resposta: Seguem abaixo a Tabela de Códigos e respectivos portes e a tabela de Custo Operacional revisado em 2016.

CÓDIGO PROCEDIMENTO PORTE C. OPERACIONAL
4.14.01.06-9 Provas imuno-alérgicas para bactérias (por antígeno) 1C 0,1
4.14.01.07-7 Provas imuno-alérgicas para fungos (por antígeno) 1C 0,1
4.14.01.53-0 Teste cutâneo-alérgicos Epitelios de Animais 1C
4.14.01.52-2 Teste cutâneo-alérgicos para látex 1C
4.14.01.08-5 Teste da histamina (duas áreas testadas) 1A
4.14.01.10-7 Teste de broncoprovocação 3B 3,2
4.14.01.29-8 Teste para broncoespasmo de exercício 3B 3,2
4.14.01.36-0 Testes cutâneo-alérgicos para alérgenos da poeira 1C
4.14.01.37-9 Testes cutâneo-alérgicos para alimentos 1C
4.14.01.38-7 Testes cutâneo-alérgicos para fungos 1C
4.14.01.39-5 Testes cutâneo-alérgicos para insetos hematófagos 1C
4.14.01.40-9 Testes cutâneo-alérgicos para pólens 1C
4.14.01.42-5 Testes de contato – até 30 substâncias 3C 7,26
4.14.01.43-3 Testes de contato – por substância, acima de 30 0,25 de 1A
4.14.01.75-1 Teste de contato – Bateria cosméticos 3C 6,8
4.14.01.77.8 Teste de contato – Bateria capilar 3C 6,07
4.14.01.78.6 Teste de contato – Bateria unhas 3C 6,26
4.14.01.76.0 Teste de contato – Bateria regional 3C 6,45
4.14.01.80-8 Teste de Contato Bateria Agentes Ocupacionais 3C 6,07
4.14.01.79-4 Teste de contato – Bateria medicamentos 3C 6,07
4.14.01.44-1 Testes de contato por fotossensibilização – até 30 substâncias 3B
4.14.01.45-0 Testes de contato por fotossensibilização – por substância, acima de 30 0,30 de 1A
4.01.05.05-9 Medida de pico de fluxo expiratório 1A
4.01.05.06-7 Medida seriada por 3 semanas do pico de fluxo expiratório 1A 1,0
4.14.01.51-4 Oximetria não invasiva 1A 1,283
2.01.04.13-8 Imunoterapia específica -30 dias -planejamento técnico 2C
2.01.04.14-6 Imunoterapia inespecífica – 30 dias – planejamento técnico 2C
2.01.04.39-1 Terapia imunobiológica intravenosa (por sessão) 4C
2.01.04.42-1 Terapia imunobiológica subcutânea (por sessão) – ambulatorial 2C
2.01.04.23-5 Terapia inalatória – por nebulização 1A
2.02.04.15-9 Pulsoterapia intravenosa (por sessão) 4C
2.02.04.16-7 Terapia imunobiológica intravenosa (por sessão) 4C
2.01.03.24-7 Exercícios para reabilitação do asmático (ERAC) – por sessão coletiva 1A 0.440
2.01.03.25-5 Exercícios para reabilitação do asmático (ERAI) – por sessão individual 1B 0.440
4.14.01.11-5 Teste de caminhada de 6 minutos 1C 0,800
2.01.04.02-2 Aplicação de hipossensibilizante – em consultório (AHC) exclusive o alérgeno – planejamento técnico 1A
2.02.04.17-5 Terapia imunobiológica subcutânea (por sessão) – hospitalar 2C


Pergunta: Alergistas, prova de provocação nasal com alérgenos inalantes, proposta tabela procedimentos médicos (CBHPM).

Resposta: Frente a sua colocação com respeito a inclusão do TPN na CBHPM/AMB,  gostaríamos de levar ao seu conhecimento que a ASBAI tem empreendido grandes esforços na tentativa de realizar revisão tanto no Rol/ANS quanto na CBHPM/AMB.
Este trabalho tem como objetivo não só a inserção de novos procedimentos mas visa também  realizar revisão de nomenclatura, porte e custo operacional dos já existentes. Agradecemos sua contribuição nos alertando da importância dos Testes de Provocação
Nasal como procedimento diagnóstico relevante. Ressaltamos que este trabalho é extremamente burocrático e moroso e os resultados, infelizmente, exigem de todos nós uma boa dose de paciência.


Pergunta: Rol/ANS e CBHPM o que representam como referência?

Resposta: CBHPM é a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos foi criada pela AMB, em parceria com as Sociedades de Especialidades, com o intuito de estabelecer parâmetros de valores mínimos para a boa pratica dos
eventos em saúde. É constituída por um código que se refere a cada procedimento (TUSS), nomenclatura própria, Porte e Custo Operacional. O porte traduz o Honorário Médico mínimo aceitável para a remuneração na execução de cada procedimento listado.Já
o Custo Operacional diz respeito a todos os insumos despendidos na execução dos mesmos. Tanto os valores de Portes e Custo Operacional sofrem atualizações anuais divulgadas pela AMB no mês de Outubro. – Rol/ANS é gerenciado pela ANS (Agência Nacional
de Saúde), estabelece a relação de procedimentos e eventos em saúde que deve ser disponibilizada, de forma obrigatória, pelas operadoras de planos de saúde.


Pergunta: Como acessar o Rol e a tabela TUSS estabelecidas pela ANS?

Resposta: TUSS 2018 Clique no link para acessar esta referência
http://www.ans.gov.br/images/stories/Plano_de_saude_e_Operadoras/Area_do_consumidor/rol/2018/correlacaoTUSSROL2018_vigenteaps012018.xlsxRol 2018 Clique no link abaixo para acessar a relação de procedimentos e eventos em saúde
http://www.ans.gov.br/images/stories/Plano_de_saude_e_Operadoras/Area_do_consumidor/rol/2018/AnexoI_Rol-2018_Ok.xlsx


Pergunta: Estou montando um serviço de Alergia no maior hospital de BH ( HOSPITAL MATER DEI)! Isto é inédito aqui em Belo Horizonte! Inovador! Preciso de ajuda! Os códigos que preciso da CBHPM não estão no ROL DE PROCEDIMENTOS! teste
de provocação oral com alimentos. teste de provocação oral com medicamentos. teste de provocação injetável com medicamentos. teste cutâneo de puntura com medicamentos. teste cutâneo de puntura com alimentos in natura.

Resposta: Referente ao seu questionamento esclarecemos que os referidos procedimentos aguardam aprovação da ANS. Somente após esta aprovação passarão a fazer parte do Rol da ANS e por conseguinte deverão ter obrigatoriedade de cobertura
por parte das operadoras de plano de saúde e código TUSS. Atualmente, já constam da CBHPM, na sua última edição, com códigos e referências especificas, que seguem:

Procedimento Código CBHPM Porte
Teste de provocação oral com alimentos 2.01.01.36-8 7A
Testes cutâneos com medicamentos (≤3) – puntura e ID 2.01.01.37-6 4A
Testes de provocação com medicamentos – oral e injetável Oral
2.01.01.38-4
Oral – 7A
Injetável
2.01.01.39-2
Injetável – 7B